21 de dez de 2010

Quer emagrecer? Cuidado com as modinhas

Me perdoem se vou pegar um pouco pesado com alguns!!! Mas o que vimos nas reportagens da TV Globo nos últimos dias não é novidade alguma. Pessoas em busca de perder peso recorrendo a qualquer tipo de produto que promete o "chegar ao paraíso" em poucos dias. Produtos esses adulterados e que podem trazer sérios riscos a saúde de quem o utiliza. E o que vemos? Que mesmo assim esses produtos continuam sendo comercializados indiscriminadamente.

Sabe o que me anima? Ainda não acharam uma saída para quem foge de algumas gotas de suor e não deixa de lado os velhos hábitos de exagerar e não se controlar à mesa! Aos teimosos, tudo que ganham é mais peso e a balança como inimiga. O que me entristece? Os teimosos continuam aumentando (gente que nem tem tanto assim para perder) e o país perdendo a saúde.
A moda agora é a Caralluma Fimbriata. Ou talvez, era a moda! Segundo publicação no Diário Oficial desta terça feira o produto mais vendidos no país para emagrecer teve sua comercialização suspensa, juntamente com outro produto também dito como "natural" conhecido como Divine Shen. Existe a desconfiança de que estes produtos sejam fabricados contendo substâncias proibidas no Brasil e de uso controlado, como a Sibutramina (esta, que mesmo de uso restrito, ainda é o remédio para emagrecer mais usado na Brasil!).

"Fique em forma naturalmente" - Essa é a promessa mostrada como Slogan desses produtos. O caso da Caralluma tem me chamado a atenção seriamente nestas últimas semanas, após ter percebido a  enorme procura pelo produto, notando inclusive a falta do mesmo em algumas farmácias de manipulação. O preço do produto é relativamente barato e muitas vezes não há a exigenência de receita (o sequer é registrado na ANVISA, por não ter eficácia e segurança comprovada).

Fui então atrás de mais informações a respeito desse produto (ainda contando com a vantagem de ter uma namorada farmacêutica para me prestar boas informações), numa pesquisa na internet não encontrei informações suficientes e de caráter científico confiável a respeito da Caralluma. O que se diz é que esse cacto tem sua origem é da Índia, que atua como inibidor do apetite e usado há muito tempo por tribos primitivas que passavam por privações e que não há efeitos colaterais comprovados. Porém, um relato de um membro da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia é de que nenhum produto natural teve seu efeito realmente comprovado para o emagrecimento.

Portanto, desconfiar para não ser enganado e preservar a saúde é a melhor escolha. No país do "jeitinho", mesmo com as restrições e proibições sabemos que sempre se arruma uma maneira de driblar as regras e cabe a cada um ser vigilante da própria saúde e não cair nessas armadilhas disfarçadas de "milagres". No verão sabemos que a procura alucinada pelo corpo perfeito aumenta, mas sempre é bom repetir: Nada se consegue sem algum esforço, sem algum custo. E, graças a comprovações científicas, o exercício físico e dieta bem orientados são ainda os esforços mais saudáveis para este objetivo, mesmo que demore um pouco mais que o planejado!

DEIXEM AS CIRURGIAS E REMÉDIOS PARA QUEM REALMENTE NECESSITA E O MÉDICO SABE QUEM NECESSITA DISSO!!!

Veja abaixo as reportagens clicando nos links:
- O GLOBO
- FANTÁSTICO

2 comentários:

  1. Essas reportagens ainda mais da globo nao sao confiaveis, já q eh uma emissora extremamente manipuladora e q usa seus artificios de midia para impor o q eh e o q nao eh pra ser na sociedade, se eles tivessem ganhando alguma coisa com a venda desses produtos, colocariam lá no céu e fariam reportagens com pessoas q conseguiram emagrecer... mas valeu a postagem Icaro, ficou massa... ass. Depois te digo quem sou eu... ahauhauah

    ResponderExcluir
  2. OK! Penso de forma semelhante, mas a reportagem teve caráter de alerta, assim como a minha postagem. Agora há uma postura da ANVISA, que é o FATO principal, esse sim deve ser respeitado!

    ResponderExcluir

Olá... Obrigado por comentar em meu blog... se desejar, deixe seu e-mail para contato! Continue acompanhando o trabalho!