7 de out de 2015

O que você sabe de suas taxas sanguíneas?


Na lista de exames do seu check up médico periódico (se você não tem o hábito de fazer isso, aconselho que faça) algumas taxas sanguíneas estão quase sempre presentes. Mas em boa parte das vezes não se sabe muita coisa sobre elas a não ser os índices considerados como saudáveis ou não. Vamos nesse post tentar esclarecer um pouco sobre esses números e o que eles podem causar quando alterados.


PRESSÃO ARTERIAL: Essa medida não é propriamente uma taxa sanguínea. Mas está relacionada ao bombeamento do sangue pelas artérias. Sua pressão é mais elevada quando as paredes das artérias por algum motivo oferecem uma maior resistência à passagem do sangue. Considera-se como valor normal 120/80mmHg (o famoso 12 por 8). Já não há um grande consenso sobre esse valor, especialmente o menor, algumas sociedades médicas já recomendam como mais saudável que esse índice esteja abaixo dos 8 (80mmHg). O valor maior está relacionado à força de contração muscular do coração. O menor valor refere-se ao relaxamento e capacidade de distensão do órgão.

GLICOSE: Essa é a taxa de referência para diagnóstico do Diabetes. É a medida de concentração de açucares no sangue. Valores acima de 100ml/dl podem indicar uma incapacidade na produção de insulina (hormônio que controla a quantidade de glicose no sangue) ou no mal emprego da insulina produzida. Essa situação por períodos contínuos caracteriza o Diabetes e poderá haver danos em órgãos, vasos sanguíneos e nervos.


TRIGLICERÍDEOS e COLESTEROL: As principais gorduras do sangue estão presentes facilmente na nossa alimentação. E são importantes, pois são fontes de energia. Porém, quando acima do nível saudável podem causar danos ao organismo. Os triglicerídeos são considerados menos perigosos, mas se muito acima do índice normal (em torno de 150mg/dl) podem levar a pancreatites, AVE ou infarto. O colesterol (em valores totais deve estar abaixo dos 200mg/dl) é avaliado sob três subtipos:
HDL- o “bom colesterol”, tem a capacidade de “limpar” as paredes das artérias e recomenda-se que este valor esteja em um nível ideal normalmente acima dos 40mg/dl;
LDL e VLDL- “o colesterol ruim, deve ser mantido abaixo dos 100mg/dl. Essa taxa alta pode levar à formação de placas de colesterol nas artérias, trazendo sérios riscos à saude dos vasos, podendo causar acidentes vasculares ou infarto. Existe aqui um forte componente genético, por esse motivo é essencial estar atento a alimentação e praticar exercícios físicos com o fim de manter controlado em níveis adequados.

CREATININA: Indica a eficácia da filtração dos rins. Deve estar entre entre 0,6 e 1,3 mg/dL. É uma taxa correlacionada com as anteriores. Uma vez que o Diabetes e Hipertensão podem prejudicar diretamente o funcionamento dos rins. Uma alimentação desregulada, pode levar a uma sobrecarga proteica e também levar ao mau funcionamento destes órgãos.

HEMOGLOBINA (glóbulos vermelhos): É o principal indicador para diagnostica a anemia. Sua taxa ideal é de 12 a 16 g/dL. A função da hemoglobina é absorver e transportar o oxigênio no sangue.

FERRITINA: A ferritina é uma proteína globular que se localiza essencialmente no fígado. A ferritina é a mais importante proteína de reserva do ferro. Seu valor normal no sangue varia de 10 a 80 µg /l. Seu valor elevado é indicativo de infecções, traumatismos ou inflamações. Está ainda relacionada a doenças hepáticas e anemia.

Há ainda várias outras taxas que aparecem nos hemogramas completos e mais detalhados como leucócitos, linfócitos e plaquetas (relacionadas ao nosso sistema imunológico), vitaminas, TGO e TGP (onde se observa problemas hepáticos), T3, T4 e TSH (relacionaras ao funcionamento da tireóide e tantos outros.

LEIA MAIS NESSES LINKS:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá... Obrigado por comentar em meu blog... se desejar, deixe seu e-mail para contato! Continue acompanhando o trabalho!